Atendemos todo o Brasil -
011 3101-2261

M.E.B. Advocacia

Publicações

Quais carreiras jurídicas estão surgindo no Brasil?

É sempre bom ficar por dentro das novidades do mundo jurídico, ainda mais na sociedade atual, onde tudo é tão líquido e vem se modificando com tamanha frequência.

 

Por isso, pode-se dizer, que não só no Brasil vem surgindo novas carreiras por causa dessa sede de celeridade nas reações humanas, mas em todo o mundo.

 

Porém, hoje nós preparamos um guia especial para você, direcionado à realidade brasileira, para que você jurista ou desejoso por trabalhar no futuro como operador do direito, possa ficar por dentro dessas novidades profissionais no mercado de trabalho.

 

Introdução – Quais carreiras jurídicas estão surgindo no Brasil?

 

A faculdade de Direito é sempre uma boa opção, pois o bordão “leque de oportunidades” é verdadeiro. Os bacharéis em Direito se formam com uma variedade de áreas lhes esperando para atuar. Só dentro da Advocacia, tem as áreas de especializações, como Criminal, Civil, Trabalhista, Previdenciário… Além disso, vários concursos públicos exclusivos desses bacharéis, ou seja, onde um dos requisitos para esses cargos é ser formado em Direito.

 

Há quem diga que o fim das carreiras jurídicas está próximo, mas não é bem o que se pode observar atualmente, pois com todo esse desenvolvimento tecnológico nos últimos anos, tem surgido muitas carreiras, inclusive para os operadores do direito.

 

Com a tecnologia houve a necessidade de novas legislações para regulamenta-las, e um desses exemplos é a famosa Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, que na época da sua entrada em vigor houve grande repercussão no mundo jurídico, inclusive surgindo Advogados se especializando para tratar de questões jurídicas relativa a essa nova legislação.

 

Tem-se as carreiras mais tradicionais no mundo do Direito, que ainda estão aí bem vivas, como: Procurador, Promotor de Justiça, Juiz, Desembargador, Defensor Público, Delegado, todas essas de carreira pública, e também a carreira privada de Advogado, onde pode-se especializar em várias áreas.

 

Sim, é inegável que essas carreiras se reinventaram com a tecnologia, mas também houve o surgimento de novas carreiras…

 

O retorno financeiro dessas áreas tradicionais é bem parecido, mas o direito púbico parece ser mais desejado pelos juristas, tendo em vista a estabilidade das carreiras púbicas.

 

            Entretanto o cenário hoje está ampliado, com toda essa tecnologia há carreiras novas que podem ser muito lucrativas se o profissional saber se envolver corretamente, e ainda conseguir uma boa estabilidade econômica.

 

O Direito 4.0 – Quais carreiras jurídicas estão surgindo no Brasil?

 

Também chamada de 4ª revolução industrial, a onda tecnológica implementou o “Direito 4.0”.

 

Antes de 2019 já havia um grande afinco com a tecnologia, mas ainda se temia muito investir no seu desenvolvimento.

 

Porém a Pandemia do COVID-19 veio para revolucionar este cenário. Diante da necessidade de se fazer tudo remotamente para evitar a propagação do vírus, os investimentos no desenvolvimento da tecnologia dispararam.

 

As Faculdades tiveram que se ajustar a nova realidade, e buscaram desenvolver as plataformas de vídeo chamada para que as aulas pudessem ter continuidade, com isso o que engatinhava na tecnologia teve um grande salto de crescimento.

 

Não só a área da educação sofreu com a brusca mudança, mas os profissionais por todo o mundo, com isso, os advogados tiveram que se adaptar a essa nova realidade, onde eles e seus clientes passaram a estarem inseridos em demandas que envolve o novo contesto fático de tecnologia.

 

Audiências se tornaram online, reuniões, formas de avaliação, peticionamento das ações… O mundo virou digital e não há mais como fugir.

 

Com isso, nasceu o Direito 4.0, uma abordagem para o direito, onde as tecnologias da informação e da comunicação são o centro.

 

Mas onde vê-se sua aplicação, você saberia dizer?

 

Alguns exemplos são criação de leis no intuito de regulamentar esse mundo tecnológico e o uso das ferramentas tecnológicas, este último por exemplo, a criação de plataformas digital que sustentam o sistema judiciário online.

 

Portanto, passou-se da era do direito tradicional para a era do direito 4.0. Neste novo contesto histórico, verifica-se a necessidade de encontrar profissionais capazes de resolverem questões legais que surgem no ambiente digital.

 

Gerenciamento de LGPD, inteligência artificial como chatbot e outros canais de atendimento omnichannel e softwares de gestão de fluxo de dados pessoais, são só alguns exemplos da nova era digital.

 

Já é possível visualizar perfeitamente o mundo do Direito 4.0 no Poder Judiciário:

 

Tornar a prestação de serviços judiciários mais eficiente, eficaz e acessível à sociedade, otimizando a gestão processual: essa é uma das premissas do Programa Justiça 4.0, que completou um ano em janeiro.

 

Diversos avanços na agenda de transformação digital do Judiciário estão integrando os tribunais de todo o país, como destaca o Balanço 1 ano de Justiça 4.0. Um exemplo foi o saneamento da Base Nacional de Dados do Poder Judiciário (DataJud), que permitiu detectar e corrigir inconsistências nas informações recebidas dos tribunais, além de ter fornecido uma API (Interface de Programação de Aplicação) para que eles tenham acesso aos dados na íntegra.

 

Outra iniciativa foi a realização do diagnóstico da realidade tecnológica em 88 tribunais. Esse mapeamento norteou a elaboração de planos de ação para a integração de cada órgão ao Programa e à Plataforma Digital do Poder Judiciário, também criada pelo Justiça 4.0. As equipes vêm recebendo apoio técnico e capacitações para implementar a Plataforma.

 

Também foram desenvolvidos três modelos de inteligência artificial, com acurácia acima de 85%, que agilizam o preenchimento automatizado de dados de um processo judicial, de acordo com o tipo de documento. Outra solução em implementação, o Codex, fornece dados estruturados e conteúdo textual de documentos em um grande repositório que poderá ser usado tanto em modelos de inteligência artificial quanto para o fornecimento de evidências e no apoio à formulação de políticas judiciárias.

As novas carreiras jurídicas que nascem com o Direito 4.0 

Quais carreiras jurídicas estão surgindo no Brasil?

 

Muitas pessoas dizem que a tecnologia trouxe a extinção para algumas profissões, pois ela avocou alguns trabalhados feitos pelo ser humano, assim como na era da indústria e o desenvolvimento maquinário que foi excluindo a necessidade de alguns trabalhos manuais.

 

Entretanto, a realidade parece ser outra, pois vê-se vários postos de trabalho surgindo, inclusive, quanto a carreiras jurídicas. São alguns exemplos:

 

1) Empreendedor de lawtechs/legaltechs: Esses profissionais trabalham com as startups jurídicas, que se dividem em duas categorias, as legaltechs e as lawtechs. A primeira busca por soluções que possam tornar algumas funções dos advogados mais automáticas, e agilizar o dia a dia. Já a segunda, consiste em oferecem soluções para facilitar os procedimentos jurídicos para o público final.

 

2) Data Protection Officer (DPO): Este profissional lida com a segurança dos dados, ou seja, todos os dados do escritório ou do advogado serão geridos de forma mais segura quando passar pelo DPO.

 

Não existem muitas pessoas especializadas nessa área aqui no Brasil, portanto, este profissional costuma a ser bem remunerado, ou seja, é valorizado pelo mercado de trabalho.

 

3) Head de inovação para os escritórios: Estes são especialistas em captação de clientes, além disso, possuem um grande conhecimento em marketing para essa captação e claro, o conhecimento da ciência jurídica para realizar seu trabalho. Tendo em vista a concorrência para conseguir clientes atualmente na advocacia, este tem sido um profissional muito importante no dia a dia dos escritórios de advocacia.

 

4) Especialista em segurança da informação: A preocupação com hackers não pode ser ignorada pelos advogados, é importante ter pessoas especialistas nesse tipo de segurança dentro dos escritórios. Esta prática também é conhecida como cibersegurança, que consiste na proteção de hardwares e softwares contra roubo ou danos.

 

5) Consultor de eDiscovery: “eDiscovery” é um termo antigo, que foi reciclado para essa nova profissão, ele veio da era da internet discada. Esse profissional tem a função de reunir dados que possam ser utilizados como provas, evidências, nos processos judiciais do escritório para o qual trabalha.

 

Além do conhecimento tecnológico, esse profissional precisa verdadeiramente ter conhecimento em direito, para saber o que procurar, ou seja, o que poderá ser utilizado como prova processual.

 

6) Operações jurídicas: Com a tecnologia nasceram novas demandas, também houve o crescimento de trabalhos funcionais e de organização, onde esse fluxo de trabalhos é deixado sob a responsabilidade de pessoas contratadas só para isto e a parte legal da advocacia fica para o advogado. Portanto, trata-se de um departamento basicamente administrativo, financeiro, que faz a gestão das pessoas naquele escritório com base nas novas tecnologias. Por exemplo, alguém que lida com a agenda de prazos digital, pode ser um operador jurídico.

Conclusão – Quais carreiras jurídicas estão surgindo no Brasil?

 

Hoje trouxemos algumas carreias para você ficar por dentro dessa nova era tecnológica, e talvez poder até recomeçar em uma nova profissão dentro da sua área jurídica, já pensou?

Fonte: Estratégia Concursos

________________________________________________________________________________

MEB Advocacia Especializada em Concursos Públicos



Você está procurando uma advocacia especializada em concursos públicos?

Fale Conosco Agora
Como funciona a desistência de nomeado e nomeação do próximo ao cargo?

A jornada de um concurso público não termina com a aprovação; ela segue um caminho que inclui a



ADVOCACIA ESPECIALIZADA EM CONCURSO PÚBLICO

Chamar no Whatsapp