Atendemos todo o Brasil -
011 3101-2261

M.E.B. Advocacia

Publicações

Exame OAB: Dicas rumo ao sucesso na “vermelhinha”

Em 24/3/24, começa a 1ª fase do 40º Exame de Ordem Unificado. Com 80 questões, estudantes de direito buscam dicas para a aprovação. Compartilho experiências e dicas valiosas para essa jornada desafiadora.

 

Dica 1: prelúdio da jornada – Datas e candidatos

Para começar, é fundamental estar atento às datas e aos detalhes relevantes relacionados ao 40º Exame de Ordem Unificado, sendo imprescindível a leitura do edital.1

O período de inscrição transcorreu entre os dias 8 de janeiro de 2024 e 16 de janeiro de 2024. A prova está marcada para o dia 24 de março de 2024, ocorrendo das 13h às 18h, no horário oficial de Brasília/DF, com uma duração total de 5 horas.

A taxa de inscrição para a prova é de R$ 320,00. Contudo, é importante observar que há a possibilidade de isenção do pagamento dessa taxa, de acordo com os critérios detalhados no capítulo 2.6. Da Isenção, conforme estabelecido no edital de abertura do 40º Exame De Ordem Unificado.

Por último e como informação essencial, além do bacharel em Direito, os estudantes de direito matriculados nos últimos dois semestres ou no último ano do curso de graduação podem participar do Exame de Ordem. Isso significa que é possível ser aprovado enquanto ainda está na faculdade! Melhor presente de formatura que esse não existe, não é verdade?!

Mas atenção: a inscrição como Advogado ocorre somente após a finalização da graduação em Direito. Então, mesmo que seja aprovado ainda no último ano de formação, não esqueça de focar também nas provas da faculdade.

Dica 2: a análise estratégica da prova objetiva

Entender a dinâmica da prova é fundamental para vencer o Exame de Ordem da OAB. Dedicar atenção especial a disciplinas-chave, compreender a distribuição dos temas e até mesmo antecipar a escolha da área para a segunda fase são aspectos vitais para alcançar o sucesso neste desafio.

O Exame de Ordem é dividido em duas fases: a prova objetiva de múltipla escolha e a prova prático-profissional. Neste artigo, concentrarei nossa atenção na primeira fase.

A prova objetiva consiste em 80 questões de múltipla escolha, apresentando quatro opções (A, B, C e D) e requerendo apenas uma resposta correta. A aprovação exige um acerto mínimo de 50%, ou seja, pelo menos 40 questões corretas.

Similar aos exames anteriores, o edital do 40º exame de ordem unificado abrange diversas disciplinas. No capítulo 3.1, são indicadas as áreas do conhecimento passíveis de cobrança: disciplinas profissionalizantes obrigatórias e integrantes do curso de Direito, conforme a Resolução n. 5, de 17 de dezembro de 2018, da CNE/CES; Direitos Humanos; Código do Consumidor; Estatuto da Criança e do Adolescente; Direito Ambiental; Direito Internacional; Filosofia do Direito; Direito Financeiro; Direito Previdenciário; Direito Eleitoral, bem como Estatuto da Advocacia e da OAB, seu Regulamento Geral e Código de Ética e Disciplina da OAB.

Ao analisarmos a Resolução nº 5 de dezembro de 2018, deparamo-nos com um leque de matérias abordadas no Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Direito, resumindo praticamente todo o conhecimento adquirido durante a graduação. Contudo, é importante não se desesperar. Nesse ponto, o estudante precisa adotar uma abordagem estratégica para os estudos. Embora o edital do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil não indique a distribuição exata de disciplinas por questões, a Fundação Getulio Vargas – FGV, responsável pela elaboração das provas, mantém uma constância na distribuição dos temas, como evidenciado no antecessor – 39º exame de ordem unificado). A tabela a seguir mostra a quantidade de questões por disciplina do exame anterior:

Embora a ordem exata e o número por disciplina possam variar nos diferentes cadernos de prova, os exames anteriores mantêm uma consistência em torno desses números. Dessa forma, podemos observar que o Estatuto da Advocacia e da OAB, seu Regulamento Geral e Código de Ética e Disciplina da OAB merecem atenção especial, seguidos das disciplinas clássicas de direito e processo civil, penal e trabalhista, direito constitucional e administrativo…

É crucial ressaltar que o estudante deve preparar-se para as matérias acima, considerando o período de incidência em cada uma para garantir a aprovação. Faça um roteiro de estudo e reserve um tempo maior para ética em comparação ao direito previdenciário, por exemplo.

Aqui, seria interessante que o estudante pensasse à frente e verificasse a matéria que gostaria de prestar na área de conhecimento da prova prático-profissional da segunda fase. É claro que devemos dar um passo de cada vez, mas antecipar essa decisão pode ser um recurso valioso mais tarde. Por exemplo, caso opte pela disciplina de Direito Civil na segunda fase, já pode usar isso a seu favor nos estudos atuais. Observe que Direito/Processo Civil representam quantidades consideráveis na prova objetiva, sendo viável que a dedicação esteja voltada desde já para esses temas, visando colher frutos no futuro. Além disso, o fato de estudarmos aquilo que nos é prazeroso serve como facilitador.

Além dos estudos convencionais, diversifique suas fontes de aprendizado. Aqui estão alguns recursos adicionais que podem enriquecer sua preparação: Livros Esquematizados de Direito, vídeos no YouTube, o banco de provas anteriores da FGV/OAB, aplicativos de estudo gratuitos e participe de eventos e congressos com revisões para a prova. E na jornada online, o Wi-Fi é o limite!

Dica 3: a importância da prática na preparação

Refaça as questões anteriores. Sem dúvida, esse é o ponto crucial no estudo para a aprovação. Mesmo possuindo conhecimento, é essencial compreender como a prova funciona. Ser habilidoso em jogos de vídeo game não significa estar preparado para dirigir na prática, concorda? Portanto, reserve um tempo para refazer as provas anteriores, simulando o dia do teste. Faça os simulados com máxima concentração e seriedade. No cotidiano, seja no metrô, ônibus, alguns minutos antes de dormir, reveja questões isoladas.

Caso não saiba por onde começar os estudos, visite as principais matérias do tópico anterior e busque uma questão passada sobre o assunto. Se errar a questão, estude sobre o tema e assim sucessivamente. As questões passadas não serão repetidas nos testes, mas o método de aplicação e estrutura da pergunta, certamente, são reciclados em diversas situações. Portanto, fique atento ao errar uma questão, busque informações sobre o assunto e mantenha-a em seu radar para refazê-la depois de alguns dias.

Quanto à nossa conversa inicial sobre prestar a prova durante a faculdade para que sirva desde já como um grande treinamento, considerando que pode resultar em aprovação na primeira tentativa ou contribuir para aprendizados práticos futuros, é válido observar que o valor da inscrição, o final da faculdade, o TCC, o estágio e a vida pessoal são elementos desafiadores na vida do estudante. Dessa maneira, verifique se está se sentindo apto e possui condições financeiras para prestar a prova desde já. Caso contrário, o método de refazer constantemente as questões anteriores já será de grande valia até decidir fazer o teste.

Aliás, não se preocupe em errar nas questões; pelo contrário, errar agora significa aprender com o erro e garantir o acerto sobre o tema no dia da prova. Lembre-se de que não adianta decorar, é preciso entender o assunto. Portanto, preste atenção redobrada nas questões erradas, pois é necessário compreender se o erro ocorreu por desatenção ou desconhecimento. Na última hipótese, busque informações sobre o assunto para dissipar as dúvidas.

A Fundação Getulio Vargas – FGV assumiu a responsabilidade pela organização do Exame da OAB em 2010. Portanto, é interessante verificar apenas as provas elaboradas por essa banca, pois seguem o mesmo padrão de questões. Além disso, atente-se à atualidade dos assuntos, pois algumas perguntas de provas anteriores estão defasadas e podem prejudicar seu estudo, como por exemplo, temas abrangidos por reformas previdenciárias, trabalhistas, tributárias, alterações no Código de Processo Civil, mudanças na legislação ambiental, entre outros.

A prova é como uma maratona, por isso o treinamento diário é crucial, tanto para o preparo em termos de conhecimento quanto para a atenção ao enfrentar 80 questões de múltipla escolha. É essencial que a leitura esteja afiada para driblar o tempo e garantir tranquilidade durante o teste.

Vencer as pequenas batalhas diárias com questões anteriores, sem dúvida, nos prepara para o grande dia da prova.

Dica 4: táticas para o grande dia – No front da prova

Com um estudo direcionado e assiduidade no treinamento de questões, resta superar o último obstáculo da prova em si. Mesmo que seja óbvio, é importante manter a serenidade para enfrentar a batalha psicológica do dia, e para isso, a preparação deve começar antes.

É vital que o candidato tenha autoconfiança e reconheça seu mérito e sua jornada. Por si só, o estudante já é vitorioso, seja por ter chegado ao nono/décimo semestre ou até mesmo por ter se formado, dependendo do período em que esteja prestando a prova. Lembrar da trajetória e dos esforços durante o período de graduação são catalizadores para a resiliência no dia da prova.

Nos dias que antecedem a prova, evite refeições muito densas e gordurosas. Além disso, atenção ao consumo excessivo de estimulantes antes e durante a prova (ex: cafeína, energéticos), pois isso pode surtir um efeito negativo no resultado da sua prova, aumentando os níveis de ansiedade e causando desconfortos gástricos.

Verifique o trajeto e chegue com antecedência. Sem extravagâncias no dia anterior, hein!

Leve uma garrafa de água. A hidratação é primordial.

Lanches rápidos de consumo também auxiliam no decorrer da prova. Conforme o edital, “somente serão permitidos recipientes de armazenamento de lanches de rápido consumo e bebidas fabricadas com material transparente e sem rótulos que impeçam a visualização de seu conteúdo”. Lembre-se, são lanches rápidos e não um banquete. Frutas, barras de cereais, sanduíche natural devem ser levados dentro de uma embalagem transparente para evitar transtornos.

A prova é composta por 80 questões com duração de 5 horas. Controle o tempo e recomendo que faça um intervalo na metade da prova, seja para o lanche rápido ou uma ida ao toalete, sendo importante essa pausa para retomada do fôlego.

Atenção redobrada com a famigerada folha de respostas. Segundo o edital, o examinando deverá transcrever, utilizando caneta esferográfica de tinta azul ou preta, as respostas da prova objetiva para a folha de respostas, que será o único documento válido para a correção da prova. É melhor deixar para passar as respostas ao final como uma dupla checagem, sem perder de vista o tempo.

Dica 5: cuidados pós-prova – A jornada continua

Após a prova, os cuidados continuam. Evitar obsessões com o desempenho, descansar adequadamente e analisar construtivamente os acertos e erros são essenciais. Distrações positivas e momentos relaxantes ajudam a manter o equilíbrio emocional.

O exame de ordem unificado é desafiador, mas com estratégia, preparação e foco, é possível superar essa etapa. Cada desafio é uma oportunidade de aprendizado. Que esta jornada para a sonhada “vermelhinha” seja marcada não apenas pela aprovação, mas pelo crescimento e pela construção de habilidades que moldarão futuros advogados.

Boa sorte!

Fonte: Migalhas

_________________________________________________________________________

MEB Advocacia Especializada em Concursos Públicos



Você está procurando uma advocacia especializada em concursos públicos?

Fale Conosco Agora
Como funciona a desistência de nomeado e nomeação do próximo ao cargo?

A jornada de um concurso público não termina com a aprovação; ela segue um caminho que inclui a



ADVOCACIA ESPECIALIZADA EM CONCURSO PÚBLICO

Chamar no Whatsapp