Atendemos todo o Brasil -
011 3101-2261

M.E.B. Advocacia

Publicações

Concurso Unificado: saiba qual é o maior salário para nível médio

Concurso Público Nacional Unificado oferece 692 vagas no Bloco 8 em cargos que exigem os níveis médio e técnico. Confira os maiores salários!

Concurso Público Nacional Unificado teve o edital do concurso CPNU publicado na última semana. A divulgação do documento deixou algumas dúvidas nos candidatos que aguardavam a seleção.

 

Uma delas é o maior salário dos cargos que exigem o nível médio. As vagas destinadas aos candidatos com essa escolaridade estão no Bloco 8 – Nível intermediário.

Ao todo são 692 oportunidades, distribuídas em três órgãos, sendo 300 para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 240 para o Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) e 152 para Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai).

 

No IBGE as chances são para o cargo de técnico em informações geográficas e estatísticas. Na Funai as oportunidades são para a carreira de técnico em indigenismo. Ambas funções exigem o nível médio SEM a necessidade de apresentação de especialização técnica.

 

Já no caso do MAPA, são três cargos oferecidos:

  • agente de atividades agropecuárias;
  • agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal;
  • técnico de laboratório.

Para trabalhar no Ministério da Agricultura e Pecuária, o aprovado terá que apresentar o registro em Conselhos de Classes em áreas técnicas específicas.

 

Qual o maior salário de nível médio no concurso CNU?

 

Na prática, o Bloco 8 – Nível intermediário oferece 452 vagas para quem tem apenas o nível médio. As oportunidades são para trabalhar na Funai e no IBGE, nos cargos de técnico em indigenismo e técnico em informações geográficas e estatísticas, respectivamente.

 

Considerando que as vagas oferecidas para o MAPA exigem certificação técnica, o maior salário oferecido para um cargo de nível médio no concurso CPNU é o técnico de indigenismo da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai).

 

Obviamente, o cargo de técnico em informações geográficas e estatísticas vem logo na sequência. As carreiras oferecidas pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) possuem ganhos iniciais maiores. No entanto, exigem curso técnico para ocupar as vagas.

 

Salários iniciais previstos para os nomeados nos cargos do bloco 8 – Nível Intermediário

 

  • agente de atividades agropecuárias (nível médio/técnico) → R$8.094,29
  • agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal (nível médio/técnico) → R$8.094,29
  • técnico de laboratório (nível médio/técnico) → R$8.094,29
  • técnico em indigenismo (nível médio) → R$5.989,31
  • técnico em informações geográficas e estatísticas (nível médio) → R$4.666,24

No valor das remunerações já constam os valores do auxílio-alimentação de R$658.

 

Ganhos para cargos de nível médio podem ser ainda maiores

 

Os nomeados para os cargos de nível médio podem ter salários ainda maiores. Dependendo do caso, os profissionais podem ter ganhos acima de R$6 mil.

 

A remuneração do técnico em indigenismo, por exemplo, é composta de R$1.907,03 de vencimento básico. Outros R$847,48 são de Gratificação de apoio à execução da Política Indigenista (GAPIN). Já os R$2.576,80 é o valor da Gratificação de Desempenho de Atividade Indigenista (GDAIN), que contabiliza 80 pontos.

 

Ao ingressar no cargo, o novo servidor já receberá 80 pontos de gratificação até sua primeira avaliação. Caso chegue aos 100 pontos, a remuneração poderá atingir o valor de R$6.633,51.

 

Já o técnico em informações geográficas e estatísticas do IBGE tem remuneração composta considerando a gratificação de desempenho de 100 pontos, que fica no valor de R$4.666,24, somados R$658 do auxílio-alimentação.

 

Já para os cargos de agente de atividades agropecuárias, agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal e técnico de laboratório do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) têm remuneração composta de R$3.301,89 de vencimento básico.

 

Outros R$4.134,40 são de Gratificação de Desempenho de 80 pontos. Quando toma posse do cargo, o novo servidor recebe 80 pontos de gratificação até sua primeira avaliação, quando poderá chegar aos 100 pontos, remuneração de R$9.127,89.

 

Resumo do Concurso Público Nacional Unificado

 

  • Instituto: mais de 20 órgãos do Executivo Federal
  • Situação atual: editais publicados
  • Banca: Fundação Cesgranrio
  • Cargos: diversos
  • Escolaridade: níveis médio e superior
  • Vagas: 6.640
  • Remuneração: até R$23.579,71
  • Inscrições: 19 de janeiro a 9 de fevereiro de 2024
  • Data da prova objetiva: 5 de maio

 

Quais as atribuições de cada cargo do Bloco 8 – Nível Intermediário?

 

Além das remunerações é importante também saber as principais atividades que serão exigidas dos cargos de nível médio do concurso CPNU. Abaixo segue a descrição das atividades dos cargos, assim como as especialidades de cada um.

 

Agente de atividades agropecuárias (MAPA)

 

Atividades de natureza especializada, de nível intermediário, de prevenção, controle e erradicação de doenças animais e pragas vegetais de interesse econômico e de saúde pública, da sanidade, conformidade e segurança dos produtos de origem animal e vegetal (alimentos e outros produtos), na segurança e conformidade de insumos agrícolas e pecuários, por meio de fiscalização e inspeção na Defesa Agropecuária.

 

Execução de tarefas técnico-operacionais relativas à fiscalização agropecuária, relacionadas com a sanidade das populações vegetais, à idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, à identidade e à segurança higiênico-sanitária dos produtos agropecuários finais destinados aos consumidores.

 

Agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal (MAPA)

 

Atividades de natureza especializada, de nível intermediário, de prevenção, controle e erradicação de doenças animais de interesse econômico e de saúde pública, da sanidade, conformidade e segurança dos produtos de origem animal, na segurança e conformidade de insumos pecuários por meio de fiscalização e inspeção na Defesa Agropecuária.

 

Execução de tarefas técnico-operacionais relativas à fiscalização agropecuária, relacionadas à saúde dos rebanhos animais, à idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, à identidade e à segurança higiênico-sanitária dos produtos agropecuários finais destinados aos consumidores.

 

Técnico de laboratório (MAPA)

 

Atividades de natureza especializada, de nível intermediário, de diagnóstico laboratorial para: prevenção, controle e erradicação de doenças animais e pragas vegetais de interesse econômico e de saúde pública, da sanidade, conformidade e segurança dos produtos de origem animal e vegetal (alimentos e outros produtos), na segurança e conformidade de insumos agrícolas e pecuários.

 

Execução de atividades técnicas-operacionais nos laboratórios da rede oficial, relacionadas com: a sanidade das populações vegetais; a saúde dos rebanhos animais; a idoneidade dos insumos e serviços utilizados na agropecuária; e a identidade e a segurança higiênico-sanitária e tecnológica dos produtos agropecuários finais, envolvendo a realização de ensaios e análises físico-químicas, bioquímicas, químicas, bromatológicas, bacteriológicas, bacterioscópicas e microbiológicas; operação, calibração e manutenção de equipamentos e instalações laboratoriais; manutenção de sistemas de gestão da qualidade nos laboratórios; procedimentos de biossegurança laboratorial; e tratamentos prévios e complementares dos resíduos laboratoriais.

 

Técnico em Indigenismo (Funai)

 

Atribuições voltadas ao planejamento, organização, execução, avaliação e apoio técnico e administrativo especializado a atividades inerentes ao indigenismo; execução de atividades de coleta, seleção e tratamento de dados e informações especializadas; orientação e controle de processos voltados à proteção e à defesa dos povos indígenas; acompanhamento e fiscalização das ações desenvolvidas em terras indígenas ou que afetem direta ou indiretamente os índios e suas comunidades, bem como atividades administrativas e logísticas, de nível intermediário, inerentes às competências institucionais e legais de seu órgão de lotação.

 

Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas (IBGE)

 

Exercício de atribuições voltadas para o suporte e o apoio técnico especializado às atividades de ensino, pesquisa, produção, análise e disseminação de dados e informações de natureza estatística, geográfica, cartográfica, geodésica e ambiental.

 

Coletar dados em diversas fontes, planejar, organizar, criticar, corrigir, lançar, tratar e manter os dados garantindo a sua integridade, confidencialidade, disponibilidade, atualização e fidedignidade; realizar entrevistas em domicílios e estabelecimentos informantes para obtenção de dados conforme metodologia e plano de supervisão da pesquisa; realizar levantamentos topográficos/geográficos/cartográficos com vistas a manter atualizada a base territorial dos municípios; proceder à compilação, montagem e organização dos elementos cartográficos, segundo as especificações e normas adotadas; executar e apoiar as tarefas ligadas à manutenção e atualização da rede física dos marcos geodésicos do IBGE; atuar nas diversas modalidades de disseminação de dados e informações, prestando suporte e orientações aos usuários; executar de acordo com instruções e/ou orientações, as rotinas administrativas necessárias à manutenção da Unidade de Trabalho, desde o recebimento, a organização, a guarda e o encaminhamento de documentos institucionais e de interessados, utilizando os recursos de informática disponibilizados pela Instituição e os sistemas corporativos e federais; operar e utilizar equipamentos de informática necessários à sustentação e apoio à coleta de dados, às áreas técnica e de suporte administrativo, à cartografia e geodésia e à disseminação de informações; realizar atividades de administração de recursos humanos, materiais, patrimoniais, orçamentários e financeiros dando suporte à área de jurisdição; executar e apoiar atividades de supervisão de pesquisa de campo referentes à área de jurisdição, acompanhando a distribuição, o controle e o resultado das coletas de dados, através dos sistemas específicos de acompanhamento e controle das pesquisas; supervisionar as equipes de trabalho nas diversas pesquisas, garantindo a qualidade das informações coletadas em consonância com a metodologia, critérios, regras conceituais e técnicas, cumprimento de prazos e modus operandi mais adequado; participar dos treinamentos presenciais e a distância e organizá-los, se for o caso, bem como atuar como instrutor/tutor/facilitador e oferecendo suporte e apoio técnico na organização e realização destes; e executar outras atividades compatíveis com o cargo.

 

Como fazer a inscrição para os cargos de nível médio do concurso CPNU?

 

As inscrições ficarão abertas entre os dias 19 de janeiro a 9 de fevereiro, pela página do Concurso Público Nacional Unificado.

 

A inscrição deve ser feita por meio da conta GOV.BR, em qualquer nível (ouro, prata e bronze). Depois de autenticar a conta, o candidato será redirecionado ao site da Fundação Cesgranrio, banca organizadora do concurso, para concluir o processo.

 

A taxa será de R$60 para os cargos de nível médio. Como procedimento, o candidato deverá escolher o bloco 8 e, em seguida, fazer um ranking de preferência.

 

Isto é, elencar as carreiras que deseja concorrer por ordem de prioridade, desde que tenha os requisitos necessários.

 

Veja como funcionará o ranking de preferência:

 

  • escolher o bloco temático 8;
  • escolher os cargos;
  • ordenar preferência entre os cargos;
  • ordenar preferência das especialidades.

Quem for convocado para a segunda ou terceira opção, continuará na lista de espera dos cargos que listar com maior prioridade.

 

Haverá isenção da taxa para quem se enquadrar em uma das seguintes situações:

 

  • inscritos no programa Cadastro Único (CadÚnico);
  • doadores de medula óssea;
  • seja ou tenha sido bolsista do ProUni; e
  • seja ou tenha sido financiado pelo Fies.

 

Os pedidos de isenção poderão ser feitos de 19 a 26 de janeiro, pela página do Concurso Público Nacional Unificado, mediante envio da documentação comprobatória.

 

As provas objetivas e discursivas serão realizadas no dia 5 de maio, em dois turnos. A aplicação ocorrerá de forma simultânea em 220 cidades brasileiras.

 

Confira como será a aplicação por turno:

Turno da manhã (2h30 de prova):

Para cargos de nível médio: provas objetivas (20 questões) + redação;

Turno da tarde (3h30 de prova):

Para cargos de nível médio: provas objetivas (40 questões);

 

Será eliminado o candidato que obtiver aproveitamento inferior a 40% da pontuação nas provas objetivas de Conhecimentos Gerais e Específicos ou nota zero na prova discursiva.

 

Bloco 8 – Nível Intermediário

  • Língua Portuguesa;
  • Noções de Direito;
  • Matemática; e
  • Realidade Brasileira.

Fonte: Folha Q Concursos

________________________________________________________________________________

MEB Advocacia Especializada em Concursos Públicos



Você está procurando uma advocacia especializada em concursos públicos?

Fale Conosco Agora
Como funciona a desistência de nomeado e nomeação do próximo ao cargo?

A jornada de um concurso público não termina com a aprovação; ela segue um caminho que inclui a



ADVOCACIA ESPECIALIZADA EM CONCURSO PÚBLICO

Chamar no Whatsapp