Atendemos todo o Brasil -
011 3101-2261

M.E.B. Advocacia

Publicações

Cargos de natureza burocrática não podem exigir teste físico, reitera TJ-GO

Os magistrados Mariuccia Benicio Soares Miguel e Rodrigo Rodrigues de Oliveira e Silva aplicaram o entendimento já consolidado do Superior Tribunal de Justiça para garantir a continuidade em concurso de quatro candidatos  reprovados no Teste de Aptidão de Física (TAF) ao cargo de perito criminal.

 

Nas decisões, os magistrados apontaram que a reprovação no Teste de Aptidão de Física (TAF) em concursos públicos para cargos de natureza majoritariamente intelectual e administrativa não impede que o candidato avance para as demais fases do certame.

 

Além da jurisprudência no STJ, esse também tem sido o entendimento aplicado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO). Em quatro processos distintos, candidatos ao cargo de perito criminal no concurso da Superintendência da Polícia Técnico-Científica de Goiás (SPTC-GO) obtiveram na Justiça decisões favoráveis e poderão continuar no certame.

 

Em um deles, de forma análoga, a juiza Mariuccia Benicio Soares Miguel, da 7a Vara de Fazenda Pública de Goiás, aplicou o entendimento do STJ em um caso que garantiu a continuidade em concurso de um candidato à vaga de escrivão por considerar inconstitucional a necessidade do TAF.

 

Já o juiz Rodrigo Rodrigues de Oliveira, da 1a Vara da Fazenda Pública Estadual, aplicou a jurisprudência do TJ-GO em outros três casos. “Em cognição não exauriente dos autos, própria desta fase processual, vislumbro a probabilidade do direito da parte autora ser reconhecido ao final do processo, isso porque, as funções a serem exercidas no cargo de perito criminal não exigem resistência física para o seu desempenho, uma vez que possuem natureza predominantemente burocrática e administrativa”, registrou.

 

Segundo o advogado Daniel Assunção, responsável por representar os candidatos judicialmente, as atividades típicas de um perito criminal estão relacionadas à coleta de materiais nos locais de crimes e acidentes, identificação de armas de fogo, cálculo da distância dos disparos, exames de fibras, pelos e outros materiais, redação de laudos, entre outras tarefas burocráticas e intelectuais.

 

“Em razão disso, entende-se que é indevida a aplicação de avaliação de aptidão física para candidatos que concorrem a esse tipo de cargo”, afirma Assunção.

 

Assim, foi determinado ao estado de Goiás e à banca organizadora do concurso da SPTC-GO a continuidade dos candidatos nas demais fases do certame, sem que necessitem de aprovação no Teste de Aptidão Física.

 

Fonte: Conjur

________________________________________________________________________________

MEB Advocacia Especializada em Concursos Públicos



Você está procurando uma advocacia especializada em concursos públicos?

Fale Conosco Agora
Como funciona a desistência de nomeado e nomeação do próximo ao cargo?

A jornada de um concurso público não termina com a aprovação; ela segue um caminho que inclui a



ADVOCACIA ESPECIALIZADA EM CONCURSO PÚBLICO

Chamar no Whatsapp